A crise brasileira chegou ao fim. A avaliação,
 
feita pela Fecomércio-RS a partir do balanço de 2017, projeta para 2018 um crescimento da economia, impulsionado pelo consu-mo e com a tendência de todos os setores produti-vos apresentem melhores resultados. O poder de compra das famílias vem crescendo por conta da queda da inflação e dos juros. O mercado de tra-balho está mais aquecido, aumentando a confiança e o retorno ao consumo.
 
A entidade destaca a urgência de reformas essenciais, como a refor-ma da Previdência, para estabelecer o equilíbrio das contas públicas do país e promover o desen-volvimento econômico e social. O presidente da Fe-comércio-RS, Luiz Carlos Bohn, reforçou que não há mais como suportar aumento de impostos para resolver o déficit fiscal. “Se faz urgente melhorar o ambiente de negócios no Brasil. Criou-se uma inconstitucional e injus-ta política arrecadatória implementada por alguns estados, inclusive o nosso, que atinge em cheio todo o segmento varejista op-tante pelo Simples Nacio-nal”, afirma.
 
Em relação à economia gaúcha, Bohn avalia que o Rio Grande do Sul está em situação “pré-falimentar” e que o estado depende da aprovação da renego-ciação da dívida para não quebrar. A partir do con-gelamento das parcelas, a recuperação da atividade econômica deverá ocorrer de forma lenta e gradual, acompanhando os ajustes na inflação.
 
 
Números indicam recuperação
 
O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) poderá atingir um percentual de 1,9% em 2018.
 
A pesquisa de Intenção de Consumo das Famí-lias (ICF) divulgada pela Fecomércio-RS mostra que a intenção de consumo das famílias gaúchas em março deste ano apresentou elevação de 9,2% na comparação ao mesmo mês de 2017 e um acréscimo de 2,3% sobre fevereiro de 2018.
 
O indicador referente à perspectiva profissional alcançou 92,9 pontos, uma elevação significativa de 39,4% sobre o mesmo período do ano passa-do. O cenário atual do mercado de trabalho mos-tra que a tendência é de melhora nos próximos meses, com a retomada da atividade econômica.
 

Números indicam recuperação

 

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) poderá atingir um percentual de 1,9% em 2018.
 
A pesquisa de Intenção de Consumo das Famí-lias (ICF) divulgada pela Fecomércio-RS mostra que a intenção de consumo das famílias gaúchas em março deste ano apresentou elevação de 9,2% na comparação ao mesmo mês de 2017 e um acréscimo de 2,3% sobre fevereiro de 2018.
 
O indicador referente à perspectiva profissional alcançou 92,9 pontos, uma elevação significativa de 39,4% sobre o mesmo período do ano passa-do. O cenário atual do mercado de trabalho mos-tra que a tendência é de melhora nos próximos meses, com a retomada da atividade econômica.
 

Setores com grande potencial


A tecnologia e a aposta em inovação podem contribuir para a criação de uma agenda positiva para o Rio Grande do Sul e exercem um papel importante na retomada do crescimento. Uma iniciativa importante é a criação empresas que tragam tecnologia para o estado. Porto Alegre e a Região Metropolitana têm potencial para tornarem-se extremamente digitais.

Além desse segmento, outros quatro devem ser mais explorados: gastronomia, mobilidade urbana, entretenimento e futebol.