Os free shops no Brasil agora são legais e logo se tornarão realidade. São lojas que vendem produtos im-portados com valores inferiores aos praticados nas lojas, pois são vendidos com isenção ou redução de impostos. A lei, que foi regulamentada em março de 2018, altera o regime aduaneiro e autoriza a criação de free shops em cidades gêmeas. A Receita Federal autorizou a ela-boração do programa de informática que será utilizado para controlar o funcionamento do sistema.

Nos países vizinhos eles geram receitas consideráveis. Surgiram no Uruguai, na década de 1980, e espalharam-se por várias cidades fronteiriças. A Argentina seguiu pelo mesmo caminho, instalando grandes shoppings na fronteira com o Brasil. A concorrência com o comércio brasileiro é desleal, pois a carga tributária desses três países é menor, permitindo que comercializem nossos produtos por preços muito inferiores.

A implantação dos free shops no lado brasileiro irá corrigir as desigualdades econômicas e sociais das cidades gêmeas, restabelecendo um processo de desenvolvi-mento, com emprego, renda e qualidade de vida para a população da fronteira brasileira.
A instalação de lojas francas no lado brasileiro vai beneficiar diretamente dez municípios gaúchos: Aceguá, Barra do Quaraí, Chuí, Itaqui, Jaguarão, Porto Xavier, Quaraí, Santana do Livramento, São Borja, Uruguaiana.