O acordo de livre-comércio entre a União Europeia e o Mercosul está muito próximo de ser concretizado. Esta iniciativa irá ampliar os caminhos deste comércio bilateral, aumentan- do o potencial de crescimento de médio prazo para o bloco econômico formado pelo Brasil, Uruguai, Argentina e Paraguai.

No dia 5 de abril de 2018, houve uma reunião em Brasília entre o ministro Marcos Jorge de Lima, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, e o embaixador da União Europeia no Brasil, João Cravinho. De acordo com o embaixador, a assinatura de acordo entre os dois parceiros comerciais nunca esteve tão próxima. As tratativas têm avançado bem e o Mercosul está perto de comemorar seu primeiro acordo em matéria de bens com a União Europeia, que pode se tornar o primeiro bloco de países desenvolvidos a ter livre aces-so ao mercado do Mercosul.

Algumas arestas devem ser aparadas, como a redução das barreiras tarifárias para produtos como grãos e alimentos, dos quais o Mercosul é grande exportador. A conjuntura mundial está favorecendo as negociações. Na União Europeia, houve a mudança de posição da França, o principal país contrário ao acordo, pois os agricultores franceses não queriam competir com os produtos do Mercosul. O presidente francês, Emanuel Macron declarou, em 26 de janeiro deste ano, que “é pertinente tentar finalizar rapidamente o acordo no contexto geopolítico atual”.

A política protecionista dos Estados Unidos, adotada por Donald Trump, está obrigando a União Europeia a abrir novas frentes de comércio, acelerando assim o fechamento de acordos.

No Mercosul, houve um alinhamento da política eco-nômica. Argentina, Brasil e Paraguai agora têm regimes políticos favoráveis ao liberalismo comercial.

Canadá inicia negociação com o Bloco Econômico

Mercosul e Canadá iniciaram um amplo acordo que envolve temas como o comércio de bens, serviços, compras governamentais, pequenas e médias empresas, barreiras não tarifárias e propriedade intelectual. No dia 9 de março de 2018 aconteceu a cerimônia de lançamento das negociações em Assunção, no Paraguai.

O momento é estratégico, pois ocorre após os Estados Unidos anunciarem medidas que irão impactar as exportações brasileiras de produtos siderúr-gicos e de alumínio para aquele mercado. O Mercosul vem trabalhando para uma maior abertura e participação no co-mércio internacional, ampliando suas parcerias.

A negociação inclui discus-sões sobre comércio inclusivo, que abarca temas como o desenvolvimento sustentável, pequenas e médias empresas, considerações relativas a gênero, legislação trabalhista e responsa-bilidade corporativa.
 

 

 

 

Fonte:

               Ministério da Indústria, Comércio exterior e Serviços